Práticas generalizadas no Velho Oeste mostram a selvageria daqueles tempos

 

Alguma vez, você já se perguntou como era a vida no Velho Oeste? Em caso afirmativo, você deve saber que beber água potável, usar sabão, tomar banho e receber  cuidados médicos básicos era um luxo incalculável. Sem falar em escovar os dentes ou os cabelos. E se você acha que sabe o quanto as condições de vida nessa época eram precárias, ainda não viu absolutamente nada.

Banheiros assustadores

Um banheiro cheiroso e limpinho é um luxo da atualidade. As instalações sanitárias internas, como um banheiro ou um lavabo são um luxo relativamente moderno. Para aqueles que viviam no Velho Oeste, as instalações eram, na melhor das hipóteses, simples e, em sua maioria das vezes, ao ar livre. Não haviam chuveiros, e os planos da criação de algo com uma banheira, por exemplo, viria décadas depois. Era impressionante como as pessoas daquela época conseguiam suportar tantas limitações.

Advertisements
Advertisements

A maioria dos residentes tinha que se contentar com pequenas instalação que eram pouco mais do que cabanas construídas em covas cavadas no próprio solo. Para simplificar, essas covas não ficavam longe das casas. E embora houvesse maneiras de esconder o mau cheiro, hordas de moscas zumbiam ao redor das chamandas latrinas. As viúvas negras também rondavam, prontas para morder qualquer um que se aproximasse.

Advertisements
Advertisements